Claro inaugura rede 3G em Minas Gerais

Danilo Jorge
09/09/2008

A Claro, concessionária de telefonia celular controlada pelo grupo mexicano América Móvil, deu início ontem à operação de sua rede de terceira geração (3G) em Minas Gerais, passando a oferecer banda larga e serviços de alta velocidade em 247 bairros de Belo Horizonte, Contagem e Betim. Até o fim do ano, a empresa promete ampliar a cobertura nessas localidades da região metropolitana e estender o atendimento para mais 30 cidades mineiras.
“Vamos estar presentes numa área que concentra cerca de 45% da população de Minas Gerais”, afirmou João Cox, presidente da Claro, sem informar o volume de investimentos aportados na implantação da rede 3G. “Não há restrições de nossa parte em investir”, comentou o executivo.
O orçamento inicial estava previsto em R$ 2 bilhões para todo o país, sem considerar o montante de R$ 1,4 bilhão gasto na aquisição das licenças para operação na freqüência de 2.100 megahertz (MHz), em leilão realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em dezembro de 2007.
“A limitação hoje deriva muito mais do aquecimento do mercado, dificultando a contratação de pessoal e de obras para a implantação das antenas”, disse Cox. “Nosso orçamento é agressivo e a preocupação é com a capacidade de atendimento dos fornecedores, sobretudo por parte das construtoras, uma vez que a instalação da rede envolve um trabalho complexo, desde o licenciamento ambiental até a construção e instalação das torres”, acrescentou o executivo.
Segundo ele, a Claro atua hoje com mais de dez construtoras. “Estamos a toque de caixa”, disse Cox. Somente em julho e agosto, a Claro lançou os serviços 3G em seis Estados – Paraná, Santa Catarina, Paraíba, Espírito Santo, Bahia e Alagoas. Com Minas Gerais, a operadora passa a estar presente em 113 municípios de 19 Estados, além do Distrito Federal. Nessa área, de acordo com informações da Claro, há um público potencial de 63 milhões de habitantes.

“Esperamos até o fim do ano abranger os demais Estados com a rede 3G”, afirmou Cox. Segundo ele, a Claro só não está presente com os serviços de telefonia celular de terceira geração em Rondônia, Roraima, Amapá, Acre, Tocantins, Sergipe e Mato Grosso. A Claro encerrou o primeiro semestre do ano com 33,1 milhões de clientes, sendo 80% de assinantes pré-pagos. As receitas totais alcançaram R$ 5,5 bilhões.