SkyWest, dos EUA, compra 20% da Trip Linhas Aéreas

A SkyWest, maior empresa aérea regional americana, vai anunciar hoje a compra de 20% do capital votante da Trip, maior empresa aérea regional brasileira, revelam fontes do setor. Esse é o primeiro investimento de uma operadora estrangeira no mercado de aviação brasileiro. A participação de 20% do capital com direito a voto corresponde ao limite máximo permitido pela legislação brasileira para o setor.
A Azul Linhas Aéreas, que o americano David Neeleman pretende lançar até o final do ano, nasce como um investimento brasileiro, uma vez que o empresário nasceu no Brasil e tem dupla cidadania. A Azul tem sócios americanos, mas todos são fundos de investimento.
SkyWest e Trip iniciaram negociações há mais de cinco meses. A iniciativa partiu de José Mário Caprioli, presidente da Trip. Com a retração do mercado americano, a Skywest separou 10% de seu capital para investir em outros mercados. Além do Brasil, a empresa analisou o México e a China.
Apesar da limitação de 20% no capital estrangeiro, o crescimento de dois dígitos da aviação brasileira nos últimos anos atraiu Jerry Atkin, presidente da SkyWest. De janeiro a julho, a aviação brasileira cresceu 10%. Em 2007, o crescimento foi de 11,9% e em 2006, de 12,3%.

“Vamos ajudar a treinar pessoas e, com nosso poder de compra, podemos ajudar a reduzir custos. Vamos ajudar a organizá-los para que possam ampliar a operação de 10 a 20 aviões e se transformarem em uma grande operadora regional”, declarou Atkin à publicação Regional Aviation News, em maio. Na entrevista, Atkin contou que estava negociando a compra de uma empresa latino-americana, mas não revelou o nome.
Em comparação à SkyWest, a Trip é uma microempresa. Enquanto a SkyWest faturou US$ 1,8 bilhão no primeiro semestre, com porte similar à da Gol, a Trip deve fechar o ano de 2008 com receita bruta de R$ 290 milhões. A SkyWest opera 442 jatos regionais e turboélices e atende 159 cidades. Com 18 turboélices, a Trip voa para 60 municípios.
Mas apesar das dimensões, ambas operam de forma similar, servindo cidades pequenas e médias com aviões de até 75 lugares e em parceria com grandes operadoras. A SkyWest é parceira da United, Delta e Midwest. A Trip, da TAM. Enquanto a Trip opera com sua própria bandeira, a SkyWest funciona como empresa terceirizada. Os aviões levam o nome das parceiras e a SkyWest é responsável pela operação e pessoal. A venda de bilhetes e os custos operacionais ficam por conta das parceiras.
A Trip é uma das companhias que mais cresce no Brasil. Saiu de 0,47% de participação em 2007 para 1,16% em julho deste ano. Em novembro, se fundiu com a Total, sua maior concorrente.